A bruxa de Grade de Paula Teixeira de Queiroz

O Geninho, pelo sim pelo não, foi buscar a Browning da guerra de catorze e a máscara anti-gás, que o avô tinha trazido de La Lys, lá nas Ardenas… Sempre ouviu a história de que veio gazeado e doente, nunca mais atinou mas trouxe aquele troféu. Estava guardado na mala forrada a pele de vaca, da turina de estimação que morreu de febre aftosa havia mais de duas décadas, e que, depois de esfolada, deu aquela linda mala onde guardavam o cordão e as arrecadas da mãe, e as relíquias herdadas pelo pai. Perguntava-se o Geninho como é que o velhote conseguiu trazer aquilo.
Tanto esperou por uma ocasião para usar a Browning e a máscara, que agora lhe pareceu a hora exacta, ai que ia ali um banzé! A Ti Mena conseguia virar Grade num pandemónio que só visto!
O Grabalho, quando viu o Geninho de máscara e arma, desatou a correr a buscar a Tokarev que o avô tinha trazido da guerra civil espanhola, na década de trinta, e, com a boina a imitar os bascos, juntou-se ao cortejo, empunhando-a como se fosse um partisano anarquista.

This entry was posted in Literatura and tagged , , , , , , , , . Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s