Cinemateca de Pedro Mexia

cinemateca

 

«No fundo, muito mais do que um livro sobre o cinema, este é um livro de pequenos contos, de short stories que nunca começam nem nunca acabam.» – Julião Sarmento

Todos julgavam que Laura estava morta. Quando ela reaparece, para espanto geral, o seu amigo Waldo nota uma certa decepção em Mark, o polícia que investigava o homicídio. E no entanto Mark andava nitidamente fascinado com o retrato de Laura e a casa dela e a aura dela. Waldo opta pelo sarcasmo: «Quando eras inatingível, quando ele pensava que tinhas morrido, foi nessa altura que ele te desejou mais.» Laura responde: «Mas ele ficou contente quando eu voltei, como se estivesse à minha espera.» Laura tem nome de musa renascentista. E as musas vivem da poesia.

Um livro da Tinta-da-china. Lede algumas páginas.

This entry was posted in Geral, Instituições and tagged , , , , . Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s