Os amantes da Dona Julieta, de Paula Teixeira de Queiroz

oaddj

A sorte estava do lado do Pedro, pois ao director do hospital já tinham chegado uns zunzuns de quem era na verdade o Ercílio, o homem mais corrupto da cidade. Mas não actuava sozinho, era a ponta do iceberg. O escândalo já tinha chegado ao hospital da forma mais vil: cartas anónimas a denunciar um certo médico feito com o director da Protecção Civil. E nestas coisas não há fumo sem fogo, já dizia o velho ditado.

— Paula Teixeira de Queiroz, Os amantes da Dona Julieta, Coimbra Editora, 2015, p. 129

This entry was posted in Literatura and tagged , . Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s