Poemas Escolhidos, de W. B. Yeats (tradução de Frederico Pedreira)

yeats
***
UM DIÁLOGO ENTRE O EU E A ALMA
[…]
Estou satisfeito por perseguir até à origem
Tudo o que decorre da acção e do pensamento;
Examinar o todo; perdoar-me por esse todo!
Quando alguém como eu espanta o remorso,
Tão imensa é a pureza que inunda o peito
Que nada mais resta fazer senão rir e cantar,
E tudo quanto existe nos abençoa,
E tudo quanto vemos é abençoado.
(p. 255)
***
A DIALOGUE OF SELF AND SOUL
[….]
I am content to follow to its source
Every event in action or in thought;
Measure the lot; forgive myself the lot!
When such as I cast out remorse
So great a sweetness flows into the breast
We must laugh and we must sing,
We are blest by everything,
Everything we look upon is blest.
***
UMA NOMEAÇÃO
Achando-me em discórdia com o governo,
Colhi uma raiz desfeita para lançá-la na direcção
Que o orgulhoso, obstinado esquilo seguia,
Divertindo-me o facto de ele pular;
Soltando um som cavo e casquinado,
Espécie de riso, pulou outra vez, e assim
Alcançou a outra árvore à distância de um salto.
Não foi uma vontade submissa
Nem um pensamento medroso,
Sequer um pesado franzir do sobrolho
O que gerou a sua feroz mordida, a precisão dos membros,
O que o fez lançar-se ao ramo com um esgar sorridente;
Nenhum governo o terá nomeado.
(p. 140)
***
AN APPOINTMENT
Being out of heart with government
I took a broken root to fling
Where the proud, wayward squirrel went,
Taking delight that he could spring;
And he, with that low whinnying sound
That is like laughter, sprang again
And so to the other tree at a bound.
Nor the tame will, nor timid brain,
Nor heavy knitting of the brow
Bred that fierce tooth and cleanly limb
And threw him up to laugh on the bough;
No govermnent appointed him.
***
PÁSCOA, 1916
Cruzei-me com eles, terminava então o dia,
Notava-se-lhes o fulgor dos semblantes,
Vinham dos respectivos balcões ou secretárias
Por entre pardacentas casas do século dezoito.
Passava por eles com um aceno de cabeça ou
Uma ou outra amável palavra de circunstância,
E antes de o fazer não deixava de pensar
Num qualquer gracejo ou provocação
Que serviria para entreter um dos companheiros
Quando estivéssemos junto à lareira do clube,
Certo de que tanto eu como eles vivíamos
Num país onde todas as máscaras estão gastas:
Tudo então mudou, mudou por completo:
Uma terrível beleza nasceu.
[…]
(p. 197)
 ***
EASTER, 1916
I have met them at close of day
Coming with vivid faces
From counter or desk among grey
Eighteenth-century houses.
I have passed with a nod of the head
Or polite meaningless words,
Or have lingered awhile and said
Polite meaningless words,
And thought before I had done
Of a mocking tale or a gibe
To please a companion
Around the fire at the club,
Being certain that they and I
But lived where motley is worn:
All changed, changed utterly:
A terrible beauty is born.

 

— William Butler Yeats, Poemas Escolhidos, tradução de Frederico Pedreira, Relógio D’Água Editores © 2017.

Advertisements
This entry was posted in Literatura, Tradução and tagged , , , . Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s